Medindo o QI da sua empresa

O teste padrão de QI para pessoas foi estabelecido há muitos anos. Embora o conteúdo desses testes tenha sido organizado de maneira inteligente e cuidadosa, existem diferentes tipos de “inteligência” entre as pessoas.

É provável que as pessoas que estão montando testes de QI dêem preferência aos tipos de “inteligência” que elas próprias têm. Os humanos são muito complexos, entretanto. Todo mundo é diferente, com habilidades naturais e habilidades em uma infinidade de disciplinas, técnicas, artísticas, sociais e outras. Junte-nos a todos como sociedade e formaremos uma ótima equipe, pelo menos quando todos trabalhamos juntos e nos apoiamos uns aos outros. 

QI
Uma das formas tradicionais de medir o QI era recorrendo a utilização de testes matemáticos.

Você pensaria que, no caso da tecnologia de manufatura, todo o processo deveria ser muito mais simples. Como avaliaríamos o QI de uma fábrica inteligente? Existem muitos tipos diferentes de “inteligência” que devem ser considerados, tantos quanto existem tecnologias de máquina e oportunidades de automação de software.

Em humanos, é um grande desafio tentar melhorar nosso QI, mas nas fábricas isso se torna cada vez mais fácil por meio da maior disponibilidade de dados e da evolução das tecnologias de software. Também em humanos, as pessoas com QI mais alto tendem a ser especialistas de uma maneira particular. Em nossas fábricas, precisamos de um bom equilíbrio de inteligência, por exemplo, não apenas aprendizado de máquina em uma única máquina, ou feedback de circuito fechado em uma configuração de linha específica, ou decisão logística automatizada em alguns dos materiais.  

Para avaliar o  “AIQ” (Quociente de Inteligência Artificial) da fábrica, é necessário olhar para todos os principais fatores que potencialmente contribuem, ou seja, o grau em que estamos utilizando as tecnologias disponíveis e práticas, para que possamos procure áreas de melhoria, que normalmente, por exemplo, usariam os dados existentes de uma nova maneira para automatizar uma função adicional ou obter uma visão de problemas potenciais com mais detalhes. 

Um grande desafio é a relação entre aquisição e utilização de dados, sendo muito semelhante ao enigma do ovo e da galinha. A coleta de dados da automação representa muitas dificuldades, incluindo a conexão elétrica, protocolo, codificação de dados e diferentes definições de linguagem e implementações entre fornecedores, mesmo seguindo padrões familiares legados da indústria.

O IPC Connected Factory Exchange (CFX) é o primeiro padrão que trata de todas essas questões, fundado na eletrônica, mas aplicável em todas as formas de manufatura discreta. Qualquer que seja o método de aquisição de dados escolhido, entretanto, envolvem custos significativos, que em si não têm um propósito comercial, já que os dados em si representam pouco valor até serem utilizados.

Por outro lado, por que desenvolver aplicativos de fábrica inteligente quando há falta de dados, ou mais seriamente, onde os dados não são praticáveis ​​devido à falta de contexto e até mesmo significado definido de forma consistente. Para alcançar o caso de negócios da fábrica inteligente, tanto a aquisição de dados de uma forma econômica precisa estar presente, quanto um roteiro claro orientado para o valor do potencial de utilização de dados. 

O whitepaperDescubra seu QI de fábrica inteligente” define as aspirações mais comuns daqueles que descobriram os aplicativos de manufatura inteligentes, usando um conjunto definido de regras que orientam o leitor através da avaliação do nível atual de realização de fábrica inteligente, bem como prontidão imediata para o próximo estágio de tecnologias e, em seguida, para o roteiro final para todos os benefícios que a manufatura baseada em dados pode oferecer.

QI
A análise de dados é um processo que ajuda a melhorar a inteligência da sua empresa.

Qualquer operação de fábrica que esteja buscando melhorar o nível de digitalização, para torná-la mais econômica e acessível em termos de retorno sobre o investimento (ROI), ou simplesmente comparando diferentes operações dentro de uma organização para determinar a estratégia, encontrará neste whitepaper uma ferramenta inestimável na medição prática e avaliação para a tecnologia de fábrica inteligente. 

O aumento da inteligência fabril traz benefícios como otimização de processos, redução de custos, e, consequentemente um maior competitividade. Mas antes de buscar tornar sua fábrica mais inteligente é importante conhecer sua empresa e saber quais áreas tem uma maior demanda por automação e uso de AI para garantir uma maior otimização de recursos e geração de resultados. Para isso leia a matéria completa no site e saiba como aumentar o QI da sua empresa.

Para continuar aprendendo mais sobre inteligência artificial e automação de processos leia nosso site.

categoria(s):

Marcus Figueiredo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
× Como posso te ajudar?