Mvule Gardens: maior projeto de habitação a preços acessíveis impresso em 3D

Estima-se que mais de 3 (três) bilhões de pessoas precisarão de moradias populares até 2030. Esse problema é mais grave na África, com países como o Quênia já enfrentando uma escassez estimada de dois milhões de moradias. Com a impressão 3D, a gigante da construção Holcim quer fazer parte da solução por meio da joint venture 14Trees para lançar o projeto Mvule Gardens.

Mvule Gardens é um projeto habitacional de 52 unidades em Kilifi, Quênia. A unidade-show dessa operação, desenvolvida pela joint venture da empresa 14Trees, em parceria com o Grupo CDC, já está concluída. Ele se baseia na primeira escola impressa em 3D do mundo no Malaui, concluída no ano passado. A fase de construção deste projeto mais ambicioso terá início no início de 2022, com a primeira fase a ser concluída seis meses depois.

Este novo projeto é particularmente ambicioso: no projeto do Malawi, as paredes não suportavam o telhado, que era composto por uma estrutura autoportante. Em Mvule Gardens, as paredes – feitas com a tinta TectorPrint de propriedade da Holcim – são resistentes.

Conhecendo o Mvule

O MASS Design Group, um escritório de arquitetura com sede nos Estados Unidos e na África, projetou o Mvule Gardens para promover unidades habitacionais acessíveis, sustentáveis ​​e replicáveis ​​adaptadas ao ambiente do Quênia. MASS – uma sigla para ‘Model of Architecture Serving Society‘ – acredita que a arquitetura tem um papel crítico a desempenhar no apoio às comunidades para confrontar a história, moldar novas narrativas, curar coletivamente e projetar novas possibilidades para o futuro.

Mvule Gardens (14trees)
Mvule Gardens (14trees)

Christian Benimana, diretor administrativo, apresentou este projeto revolucionário: “Em primeiro lugar – ele disse – esta é a primeira vez que a 14Trees usou concreto impresso em 3D como estrutura de suporte de carga em seus edifícios, um grande avanço na impressão de concreto 3D. Ao utilizar uma construção do tipo cavidade-parede, eliminamos a necessidade de concreto armado ou estrutura de aço. Também substituímos o típico telhado de aço por madeira, reduzindo significativamente as emissões de carbono. Projetamos grandes saliências do telhado na frente e atrás para fornecer sombra e temperaturas internas confortáveis, mesmo em dias muito quentes.”

Mvule Gardens faz parte do ecossistema regenerativo Green Heart of Kenya, um modelo para cidades inclusivas e resilientes ao clima. Este novo bairro irá oferecer jardins, espaços exteriores comuns e percursos pedonais. Essas características promovem um ambiente seguro e inclusivo para crianças, mulheres e idosos em uma paisagem que valoriza a biodiversidade. As próprias casas vêm em três tamanhos para acomodar casais a famílias de cinco pessoas.

O perfil de sustentabilidade avançada do projeto ganhou uma certificação de design sustentável IFC-EDGE Advanced, que reconhece edifícios com eficiência de recursos e com emissão zero de carbono. Mvule Gardens será um dos maiores projetos de habitação a preços acessíveis impressos em 3D do mundo, ampliando a impressão 3D como uma solução para preencher a lacuna de infraestrutura essencial da África.

O déficit habitacional ainda é grande muitas pessoas no planeta necessitam de uma moradia digna, no entanto, o atual modelo de produção além de não conseguir suprir a demanda possui valores inacessíveis para muitas pessoas. Nesse cenário o Mvule se apresenta não só como uma solução para o problema do déficit habitacional, como, também, para o problema das emissões de  gases provenientes do setor. O desafio é grande mas esse pode ser o caminho para uma nova construção civil.

Para saber mais sobre o projeto e seus desafios leia a matéria completa no site.

Para continuar por dentro das principais notícias do mundo da manufatura aditiva acesse o nosso site.

categoria(s):

Marcus Figueiredo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
× Como posso te ajudar?