//3D Systems expande capacidades de Bioimpressão
Modelo humano vascularizado

3D Systems expande capacidades de Bioimpressão

A recente aquisição da Volumetric pela 3D Systems e sua colaboração contínua com outras empresas de biotecnologia levam os recursos de bioimpressão 3D para o futuro.

Volumetric Biotechnologies
Volumetric Biotechnologies

Uma população envelhecida com altas taxas respiratórias crônicas, uma pandemia global e doadores de órgãos mínimos abriram caminho para que  a bioimpressão 3D  se tornasse uma possível solução de substituição de órgãos, e a 3D Systems está assumindo a liderança em seu progresso. A empresa, que há muito é líder em impressão 3D na área da saúde, adquiriu recentemente a Volumetric Biotechnologies, uma empresa dedicada à engenharia de tecidos vascularizados, e tem colaborado com a United Therapeutics (UT) e outras empresas de biotecnologia para avançar ainda mais nas capacidades de bioimpressão 3D.

“Durante anos, desenvolvemos e produzimos produtos médicos avançados para o corpo humano usando manufatura aditiva em um ambiente altamente disciplinado, controlado por processo e regulamentado pelo FDA”, disse Jeffrey Graves, presidente e CEO da 3D Systems. “Com essa base, se você olhar para o progresso que fizemos agora em todos os elementos essenciais de hardware, software e materiais da bioimpressão, temos a oportunidade, como empresa, de abordar uma variedade de aplicações no corpo humano. É por isso que estamos aumentando nosso financiamento e investimento e expandindo nossas parcerias para tornar essas aplicações uma realidade.”

A evolução da bioimpressão 3D

Os esforços da 3D Systems e da subsidiária com foco em transplante e fabricação de órgãos da United Therapeutics, Lung Biotechnology PBC, percorreram um longo caminho desde que começaram a colaborar em 2017. Com o objetivo de desenvolver aplicações de medicina regenerativa, as empresas se concentraram em uma plataforma para modelagem de pulmão.

“Nos últimos anos, com a evolução da bioprinting e da medicina regenerativa, vimos uma necessidade crescente de colocar células em alta resolução em uma matriz de nutrição para produzir tecidos complexos”, disse Chuck Hull, cofundador da 3D Systems, vice-presidente executivo e chefe oficial de tecnologia. “A impressão 3D precisa com hidrogéis, seguida pela perfusão das células no suporte impresso é a melhor maneira de conseguir isso, e somos gratos por nosso trabalho com a United Therapeutics nos dar a oportunidade de avançar e aperfeiçoar essa tecnologia.”

Bioimpressão
A possibilidade de imprimir órgãos humanos facilitará bastante a vida de pessoas que precisam de um transplante.

Em 2020, as empresas desenvolveram um processo, Print to Perfusion, para fabricar rapidamente estruturas (scaffolds) vascularizadas de alta resolução. Esses suportes impressos em 3D são perfundidos com células vivas, permitindo a criação de tecidos e pulmões humanos personalizados. Apresentando detalhes em nível de mícron, esse processo abriu a porta para aplicações de tecidos adicionais para outros órgãos, avançando ainda mais o que a bioimpressão 3D pode oferecer.

“Imagine uma estrutura semelhante a uma esponja muito fina e altamente detalhada, com paredes com espessura de uma fração do diâmetro de um cabelo humano, mas forte o suficiente para suportar o crescimento celular e o fluxo sanguíneo necessários para sustentar a vida”, disse Graves.

3D
Os órgãos são impressos utilizando células humanas.

“Ele permite a criação de órgãos a partir de células humanas reais, o que reduzirá as chances de o corpo rejeitar o transplante. A estrutura é projetada e criada para permitir a vascularização, para que haja muito sangue fluindo para os tecidos. Isso é o que conseguimos com a UT. O potencial para impactar positivamente a humanidade é notável. Fora dos órgãos sólidos, pense em substituição de tecido para pacientes com trauma ou tecido para permitir uma melhor reconstrução da mama para sobreviventes de câncer. ”

A 3D Systems tem constantemente adicionado parceiros para cobrir todas as facetas da inovação em bioimpressão. Ela fez parceria com a  Collplant , desenvolvedora da tecnologia exclusiva BioInk de colágeno humano recombinante, e a Antleron, pioneira da medicina regenerativa. A adição da Volumetric Biotechnologies está definida para levar essas tecnologias ainda mais longe. A Volumetric Biotechnologies foi fundada em 2018 pelos bioengenheiros Jordan Miller, Ph.D. e Bagrat Grigoryan, Ph.D. Sua pesquisa inovadora   colocou a empresa na missão de fabricar órgãos humanos por meio de impressão 3D, principalmente o fígado.

Para saber mais sobre sobre essa parceria e seus resultados leia a matéria completa no site.

Para continuar por dentro das principais notícias do mundo da manufatura aditiva acesse o nosso site.