Mercado do aço cresce com alta do agronegócio no Brasil

O agronegócio tem crescido em uma alta velocidade: segundo dados do Impa (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), a produtividade do setor agrícola cresceu 400% de 1975 até 2020. Atualmente a cadeia produtiva é responsável pela maior parte das exportações e por 26% do PIB brasileiro, mesmo com a crise gerada pela pandemia de Covid-19.

Outro mercado que também tem crescido bastante no Brasil é o do aço, que tem como um dos principais focos justamente o agronegócio. As máquinas e tratores, aplicados em todo o processo de plantio, irrigação, colheita, armazenamento e distribuição, usam diversos tipos do material.

aco
O crescimento do setor do agronegócio aumenta a demanda por novos maquinários, resultando em um maior consumo do material.

Em janeiro deste ano a produção bruta da commoditie no país foi de 2,9 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 10,5% quando comparado ao apurado em dezembro de 2021. Segundo o gerente Nacional de Projetos da Açovisa, Luís Carlos Picone de Araújo, uma grande parte dos aços distribuídos pela empresa é para as indústrias que fabricam para o agronegócio.

Tratores, máquinas agrícolas, transbordos, pranchas, válvulas automotivas, sistemas de irrigação, plantadeiras e colheitadeiras, são apenas algumas das várias áreas que utilizam o o insumo no processo de fabricação, alguns aços com tecnologias mais avançadas que outros, estamos diretamente ligados ao agronegócio, mesmo que isso não fique muito explícito”, explica Picone de Araújo.

Segundo dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior) compilados pelo Ministério da Agricultura, as exportações de agronegócio no Brasil renderam US $15,7 bilhões em junho, o aumento foi de 31,2% comparado com o mesmo mês do ano passado. Números como esse mostram como o agronegócio tem impulsionado a economia brasileira.

aco
O agronegócio ainda é o principal motor da economia brasileira, ajudando a impulsionar outros setores.

“Com o agronegócio em constante expansão é preciso que a indústria atenta a demanda, com qualidade nos materiais, testes e testes em laboratórios que certificam a qualidade do material. Além disso, é preciso pensar na questão logística, estar perto das indústrias que fabricam implementos e máquinas agrícolas é essencial, nós temos filiais espalhadas estrategicamente pensando em atender as principais indústrias, inclusive o agro.” completa de Picone de Araújo.

Perspectivas para o aço brasileiro

Segundo os dados da FGV (Fundação Getúlio Vargas) o agronegócio tem previsão de aumento de 5%, já o mercado prevê um crescimento de 2,2% na produção do aço bruto e alta de 1,5% no consumo, segundo o Instituto Aço Brasil.

O aumento da demanda por esse insumo tanto no mercado externo quanto no mercado interno são bons indicadores não só para as indústrias mas para os profissionais, pois com o setor em crescimento a possibilidade de novas aumenta absorvendo parte da mão-de-obra excedente no mercado. Contudo é preciso oferecer um melhor tratamento para o material para que o país para de ser apenas um exportador da commoditie bruta, agregando maior valor para o produto e uma maior receita para as indústrias brasileiras.

Apesar disso, as perspectivas para o setor que segue em crescimento são bem animadoras, seja pelo crescimento do agronegócio um dos principais demandantes do produto como do aumento da competitividade do produto brasileiro no cenário externo, dada também pela desvalorização do real em relação ao dólar o que faz com que  preço do produto brasileiro se torne muito mais atrativo para o mercado externo. Ainda é cedo para fazer previsões detalhadas sobre o setor dado o cenário do país mas para saber mais sobre as perspectivas para a indústria metal mecânica acesse o site.

Para continuar por dentro das principais notícias do mundo da indústria acesse o nosso site.

categoria(s):

Marcus Figueiredo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima
× Como posso te ajudar?