//Moldagem por injeção, o que é?
Molde Injeção

Moldagem por injeção, o que é?

Cada vez mais presentes no mundo atual, as peças feitas de polímeros podem ser encontradas nos mais variados setores da sociedade, seja na indústria, em hospitais ou em residências. E muitas delas são fabricadas através do processo de moldagem injeção. Mas moldagem por injeção, você sabe o que é?

Moldagem por injeção de peça polimérica
Processo de moldagem por injeção.

O uso de peças poliméricas deve-se, principalmente, às propriedades físicas dos polímeros que permitiu o desenvolvimento de processos de manufatura que tornaram mais fáceis a criação de peças de geometria complexa. Hoje as peças poliméricas podem ser fabricadas nas mais variadas formas, através de diversos processos de fabricação, inclusive por injeção.

Moldagem por injeção de múltiplas peças.
Processo de moldagem por injeção realizado para várias peças simultaneamente.

O que é moldagem por injeção?

É uma técnica que consiste em forçar, sob pressão, um material (metálico ou polimérico), através de uma rosca simples para o interior da cavidade de um molde (molde de injeção). Dentro da cavidade o material se solidifica reduzindo o seu volume e originando uma peça com um elevado grau de qualidade superficial e estrutural.

Apesar de se obterem peças de boas qualidades, por essa técnica, o processo de injeção é um processo complexo, e, que exige alguns cuidados para garantir a qualidade das peças devendo haver um rigoroso controle nas variáveis do processo como: tempo de injeção, temperatura do molde e o do material injetado, pressão de injeção e de recalque, tempo de resfriamento, volume do material, injetado e etc. Para realizar um bom controle das variáveis do processo é importante entender o funcionamento do mesmo e conhecer cada uma de suas etapas.

Etapas do processo

  • Fechamento do molde: a primeira etapa do processo onde é realizado o fechamento correto do molde para suportar a alta pressão da cavidade.

 

  • Dosagem: nessa etapa ocorre a plastificação e homogeneização do composto dentro do cilindro, através da rotação da rosca e do aquecimento do cilindro por meio de resistências elétricas. Nessa etapa é importante monitorar a temperatura do cilindro, a velocidade de rotação da rosca e a contrapressão da rosca.

 

  • Preenchimento: através do avanço linear da rosca e do bloqueio do contra fluxo o material é injetado na cavidade do molde, entrando em contato com a superfície fria do mesmo e esfriando rapidamente enquanto seu núcleo continua fundido. O material adicional que entra na cavidade flui ao longo do canal enquanto as paredes revestidas pelo material já estão solidificadas. Para garantir a qualidade nessa etapa é importante monitorar a pressão de injeção, a velocidade de injeção e dimensionar os pontos de injeção na cavidade do molde.

 

  • Recalque: após o preenchimento das cavidades é mantida a pressão até que ocorra a solidificação completa da peça, para compensar a contração da peça durante o seu resfriamento, evitando a ocorrência de defeitos de moldagem, imperfeições e a perda dos parâmetros dimensionais da peça.

 

  • Resfriamento: é realizada após o recalque mantendo o molde fechado para que a peça possa ser resfriada completando a sua solidificação.

 

  • Extração: encerrada a etapa de resfriamento abre-se o molde para realizar a extração da peça por meio de extratores que podem ser: mecânicos, elétricos, hidráulicos ou pneumáticos que são definidos de acordo com a concepção do molde e da peça projetada.

Vantagens do processo

Mesmo sendo um processo complexo a sua utilização se tornou bastante comum na indústria moderna, estando presente nos mais diversos segmentos devido as suas vantagens. Algumas das vantagens são:

  • Alta eficiência e produção rápida: o processo é rápido quando comparado aos demais, especialmente, para materiais poliméricos.
  • Design complexo: é possível produzir peças de geometria complexa em larga escala.
  • Maior controle dimensional proporcionando tolerâncias mais estreitas: produz peças com maior controle dimensional e tolerâncias mais estreitas do que outros processos como a fundição.

 

Quer saber mais sobre essa técnica? Clique aqui ou aqui e saiba mais!

 

Leia também em nosso site: Manufatura Aditiva, impressão 3D ou prototipagem rápida?