O que é um “Brinter”?

É o nome de uma empresa iniciante que produz uma bioprinter especializada. Você entende como o nome de marca registrada deles funciona? “BiopRINTER” = Brinter.

A empresa, com sede em Turku, Finlândia e Califórnia, foi fundada por volta de 2018 e atualmente produz a Brinter One, uma bioprinter de desktop. Bem, na verdade é um pouco mais complicado do que isso. Eles explicam:

“Oferecemos soluções e serviços abrangentes de bioimpressão 3D para indústrias farmacêuticas, biotecnológicas e cosméticas, universidades e instalações de pesquisa. Nós nos esforçamos para aprender as aplicações e necessidades específicas de nossos clientes. Portanto, cada Bioprinter Brinter é feita sob medida. ”

A principal aplicação desse dispositivo atualmente é para a engenharia de tecidos. Nesse processo, uma amostra de tecido é impressa e nela podem ser testados diversos medicamentos experimentais. Isso efetivamente substitui tecido artificial por tecido vivo de seres humanos reais, encurtando e simplificando drasticamente o processo de descoberta de drogas.

Brinter explica como isso funciona:

“As soluções de bioimpressão 3D também oferecem uma abordagem econômica para reduzir e aumentar a produtividade do processo de descoberta de medicamentos. Modelos de tecido bioprinted (por exemplo, fígado) com vários tipos de células e ambiente fisiológico complexo, semelhante ao nativo, eliminarão a necessidade de modelos in vivo durante o processo de descoberta de drogas. Além disso, modelos de fígado bioprinted também podem ser usados ​​para avaliar a hepatotoxicidade e a carcinogenicidade de compostos, como produtos químicos de proteção de cultivo.”

brinter
Fonte: nacientifico.com.br

“A bioprinting também pode ser usada para recapitular o microambiente do câncer, localizando com precisão as células tumorais e microcapilares em um modelo de tecido tumoral para estudar a patogênese, o crescimento e a metástase do câncer. ”

O Brinter One é único na medida em que pode lidar com até doze biomateriais diferentes em um único trabalho. Esses bioinks são depositados em mecanismos semelhantes a seringas, tanto em superfícies de vidro quanto em outras superfícies mais complexas.

A capacidade de manusear vários materiais é extremamente poderosa porque a maioria dos tecidos, ou pelo menos as amostras mais interessantes, são na verdade feitos de muitos tipos diferentes de células vivas. A capacidade de imprimi-los em 3D em configurações arbitrárias significa que o Brinter One pode produzir bioprints altamente incomuns.

Há outra característica muito interessante é a que foi anunciada recentemente: um processo de esterilização por LED.

Os usuários de impressoras 3D não bio “normais” precisam preparar seus dispositivos para operação limpando a base de impressão ou a superfície de construção, e isso é o mesmo com uma bioprinter. Exceto por uma diferença: como o material que está sendo impresso está literalmente vivo, existe um grande perigo de contaminação.

Essa contaminação pode ocorrer dentro da câmara de construção durante a impressão, talvez devido à invasão da impressora pela biologia do ambiente ou por resíduos de um trabalho de impressão anterior. Portanto, é fundamental que os experimentos com tecidos garantam que a câmara de impressão esteja completamente estéril antes do início do trabalho.

Isso é feito na Brinter One por meio da parceria com a LED Tailor, fabricante de componentes para esterilização. O processo utilizado é denominado “Desinfecção por fótons”. Basicamente, uma luz azul desinfetante é instalada na câmara de impressão e pode destruir biologia indesejada no início de cada trabalho de impressão. Brinter disse que esse processo mata “todas as formas de bactérias, leveduras e fungos“. A luz causa a criação de moléculas de radicais de oxigênio reativas dentro das células microbianas, que as destroem por dentro.

Este é um acréscimo importante ao Brinter One e, sem dúvida, ajudará nas vendas em seu mercado atual dos EUA, Alemanha, Índia, Reino Unido e seis outros países.  Para saber mais sobre o Brinter leia a matéria completa no site.

Para continuar aprendendo sobre o mundo da manufatura acesse o nosso site.

categoria(s):

Marcus Figueiredo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
× Como posso te ajudar?