//Restaurando artefatos de porcelana usando impressão 3D
artefatos

Restaurando artefatos de porcelana usando impressão 3D

Pesquisadores da Fraunhofer IKTS desenvolveram um método para restaurar artefatos de porcelana quebrados.

O conceito é que os museus usem o novo processo para reparar itens de porcelana insubstituíveis que foram quebrados, e o façam com muito mais precisão e robustez.

A abordagem tradicional para consertar itens de porcelana é ter um artista habilidoso que confeccione os segmentos que faltam à mão. No entanto, essa abordagem nunca é capaz de reproduzir uma geometria idêntica para a seção de reparo e também é bastante cara. Além disso, outro grande problema é a dificuldade para encontrar esses profissionais o que faz com que o processo se torne lento e caro.

artefatos
O processo desenvolvido é mais rápido que o tradicional.

O resultado é que os itens de porcelana quebrados não são consertados com a frequência desejada e com menos qualidade do que no novo método.

Como restaurar os artefatos nesse novo processo

O novo processo, desenvolvido por uma parceria entre a Fraunhofer IKTS e a Saxon Partners, envolve o uso de uma abordagem de polimerização em cuba. As tentativas anteriores de usar processos de impressão 3D FFF não produziram peças suficientemente precisas.

Ambas as abordagens usam um processo de múltiplos estágios no qual a peça é primeiro impressa em 3D com um aglutinante, seguido por uma fase de sinterização para queimar o aglutinante e fundir as partículas.

As abordagens FFF resultaram em peças que se empenaram e foram incapazes de se unir adequadamente à estrutura de base original. No entanto, a abordagem de polimerização em cuba forneceu não apenas um resultado livre de distorção, mas também um com muito mais detalhes: o tamanho da camada nessas impressões 3D foi de 0,025 mm, menor do que a maioria das impressões tentadas em impressoras 3D de resina típicas.

Heike Ulbricht, do Staatliche Kunstsammlungen Dresden, disse:

“Os resultados são fantásticos. Este processo tem o potencial de se tornar uma adição importante à restauração de objetos de arte valiosos feitos de porcelana. ”

Há um caso de uso interessante que surge como resultado dessa tecnologia. Seria possível para os museus coletar scans detalhados em 3D de suas coleções de porcelana antes da quebra. Então, se um acidente acontecesse, os funcionários do museu poderiam puxar o modelo 3D armazenado e usar o novo processo de porcelana para restaurar o objeto a um alto grau de precisão.

 

Também seria possível que os museus compartilhassem esses modelos 3D, principalmente se eles tivessem peças idênticas ou semelhantes. Um museu pego sem um modelo 3D pode solicitar uma cópia de outro museu.

3Druck disse:

“Os resultados alcançados com este processo são tão promissores que os parceiros do projeto, por sua vez, apresentaram seus resultados a restauradores de renomadas coleções de arte e empresas de toda a Alemanha em uma conferência virtual. A resposta do público foi consistentemente positiva. Logo após o evento, foi recebido o primeiro pedido específico de restauração de porcelana.”

Pode ser que essa abordagem de impressão 3D possa se tornar um serviço comercial para colecionadores de porcelana de alta qualidade, tanto privados quanto públicos.

No entanto, é improvável que se torne um processo de reparo comumente usado para itens de porcelana do dia a dia devido ao custo. Na maioria dos casos, seria mais barato simplesmente comprar um item de reposição, a menos que o objeto de porcelana tenha um valor sentimental específico.

Possibilidades para o reparo dos artefatos

Podemos ver um serviço de reparo/substituição de porcelana movido a impressão 3D surgir nos próximos anos? Acho que isso é perfeitamente possível. Para saber mais sobre essa possibilidade leia a matéria completa no site.

Para continuar aprendendo sobre o mundo da impressão 3D acesse o nosso site.