Aço inoxidável que mata vírus da covid-19 e da gripe

Engenheiros e químicos da Universidade de Hong Kong criaram o primeiro aço inoxidável anti-covid-19.  O feito é mais uma vitória no combate ao vírus mesmo com o surgimento de vacinas contra o COVID-19 e o avanço da vacinação, especialmente, em países desenvolvidos o medo ainda é grande tanto por conta dos danos causados como pelas constantes mutações que o vírus enfrenta. Além disso, a nova gripe é uma nova ameaça para a sociedade que coloca todos novamente em sinal de alerta.

Nesse cenário o aço se constitui como mais uma ferramenta de combate que pode ser utilizado para ajudar a controlar essas doenças e ajudar a restaurar a normalidade em um futuro próximo.

Como funciona o aço?

O aço mata os vírus que caem em sua superfície, incluindo o SARS-Cov-2, causador da covid-19, e o H1N1, causador da infecção que ficou conhecida como “gripe suína” durante uma epidemia em 2009, além das bactérias E.coli.

“A inativação de micróbios patogênicos, especialmente o SARS-CoV-2, na superfície do aço inoxidável é obtida ajustando-se a composição química e a microestrutura do aço inoxidável normal. A descoberta também encontrou pontos interessantes sobre prata e cobre como elementos aliados para preparar aços inoxidáveis anti-patógenos,” disse o professor Mingxin Huang.

O aço inoxidável é um dos materiais mais amplamente usados em hospitais e em áreas públicas pela sua beleza, durabilidade e facilidade de limpeza, ainda que ele não tenha propriedades antimicrobianas inerentes, como acontece com as superfícies de prata.

Pelo contrário, o SARS-CoV-2 apresenta uma forte estabilidade nas superfícies dos aços inoxidáveis atuais, com vírus viáveis tendo sido detectados mesmo após três dias de sua deposição. Sem dúvida, isso criou uma grande possibilidade de transmissão do vírus entre as pessoas que usam essas áreas e instalações.

aco inoxidavel
Algumas peças já produzidas com o novo material. (Fonte: revistaferramental.com.br)

“Vírus patogênicos, como o H1N1 e o SARS-CoV-2 exibem boa estabilidade na superfície de prata pura e de aço inoxidável contendo baixo teor de cobre (5% em peso), mas são rapidamente inativados na superfície de cobre puro e de aço inoxidável contendo alto teor de cobre (10% em peso),” acrescentou o professor Huang.

Como o cobre se precipita de forma homogênea na matriz do aço, o material inteiro se torna antiviral, ao contrário dos revestimentos com nanopartículas, que se desgastam com o uso.

O aço inoxidável com cobre já é fabricado industrialmente, de forma que a equipe acredita que a adoção desta nova tecnologia não exigirá maiores investimentos das siderúrgicas, que terão apenas que aumentar o teor de cobre em produtos de linha.

“O presente aço inoxidável anti-covid-19 pode ser produzido em massa usando tecnologias maduras existentes. Ele pode substituir alguns dos produtos de aço inoxidável frequentemente tocados em áreas públicas para reduzir o risco de infecção acidental e combater a pandemia de covid-19,” reforçou o professor Huang.

De fato, a equipe já está em contato com parceiros industriais para gerar protótipos de produtos públicos de aço inoxidável, como botões de elevadores, maçanetas e corrimãos – para fins de demonstração inicial, eles fabricaram botões para serem usados em elevadores.

Conclusão

Por ser de fácil fabricação é possível que rapidamente esse novo material já esteja em circulação, ainda que em um primeiro momento, para o uso em peças cotidianas como botões de elevador, corrimãos e etc. o que ajudaria a reduzir bastante a contaminação uma vez que são objetos que possuem contato com diversas pessoas diariamente. No entanto seu uso para aplicações hospitalares deverá demorar um pouco.  Ainda sim, a descoberta é animadora e empolgante para saber mais sobre ela leia a matéria completa no site.

Para continuar por dentro das principais notícias do mundo da manufatura acesse o nosso site.

categoria(s):

Marcus Figueiredo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima
× Como posso te ajudar?