O que você precisa saber para atuar como engenheiro pessoa jurídica em 2023

Se você é estudante ou recém-formado como engenheiro, temos uma pergunta para lhe fazer: como você pretende exercer as suas atividades profissionais? Talvez você possa ser um trabalhador de carteira assinada em uma empresa privada ou pública. Contudo, há outra opção, ser autônomo, atuando como pessoa jurídica. Saiba que esta escolha pode determinar o seu futuro!

Quais as principais características dos engenheiros pessoas jurídicas?

Antes de tudo, precisamos lembrar que uma pessoa jurídica vai atuar no mercado como um prestador de serviços – de ’empresa para cliente contratante’ ou ’empresa para empresa’. Apesar de não usufruir dos benefícios e seguranças que a Consolidação das Leis Trabalhistas, o engenheiro pode encontrar na modalidade as seguintes vantagens:

  • Consolidação de nome por meio de uma marca própria;
  • Construção de um portfólio;
  • Possibilidade de ofertar seus serviços e trabalhar com mais de uma empresa;
  • Menores custos tributários;
  • Maiores chances de obter créditos em bancos para investimentos na carreira.

Claro que para receber estes benefícios, o profissional precisará, no processo de se tornar uma PJ, abrir uma empresa. Desse jeito, ele receberá um número de Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), que permitirá a realização de inscrições estaduais e municipais – que podem variar com sua localidade -, registro de pessoa jurídica no CREA, e todo mais necessário para atuar em regularidade.

engenheiro
Essa forma de contratação vem se tornando cada vez mais comum.

Lembre-se, na hora de registrar sua empresa, informar qual será sua natureza jurídica e regime tributário.

Quais as vantagens e desvantagens de atuar como engenheiro pessoa jurídica no Brasil?

Vantagens

Como dito antes, a pessoa jurídica deve cumprir com as suas responsabilidades legais; a principal delas, é o pagamento em dia dos seus impostos. E quanto maior ficar a sua empresa, mais obrigações fiscais ela acumulará. Mas nem tudo são despesas, que fique claro. Pode-se abater muito bem esses valores por meio dos lucros. A saber, muitas empresas têm optado por realizar contratações de pessoas jurídicas, não tendo as diversas obrigações da CLT para arcar – como pagar INSS e FGTS.

Então quer dizer que, se regulamentar, requer muitas obrigações fiscais, mas pode abrir muitas portas no mercado de trabalho, ampliando as chances de montar uma carteira de clientes e fechar negócios! Além disso, te permitirá conduzir uma rotina com flexibilidade de horários, adequada à sua vida pessoal e seu plano de expansão de carreira.

Desvantagens

Como você pode ter percebido pelo que foi dito no parágrafo anterior, ser um profissional autônomo parece uma desvantagem para quem espera juntamente pagamento de 13° salário e férias, por exemplo. Várias outras despesas ficarão na conta do profissional, como combustível para deslocamento com veículo, material de escritório, EPIs, etc. Sem contar a necessidade de suporte de especialista contábil.

Então, a interpretação de se vale a pena ser um engenheiro pessoa jurídica vai depender da percepção de cada um, olhando para o caminho que pretende trilhar como profissional e as condições legais vigentes no período. De modo geral, é uma excelente alternativa para seu futuro, sim! Pense nisso!Para saber mais acesse o site.

Para continuar por dentro das principais notícias do mundo da engenharia acesse o nosso site.

categoria(s):

Marcus Figueiredo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top
× Como posso te ajudar?