BMW quer usar quebra molas e buracos das ruas como fontes de energia

A BMW apresenta uma nova ideia para o carregamento das baterias via acionamento de sistema de superalternador.

Contra o desperdício energético

Claro que você já deve ter reparado que, quando o carro se movimenta, também movimenta a sua suspensão. E é nesse momento que muita energia é gerada. A intenção da BMW é tentar justamente não desperdiçar esta energia. Sua aposta sempre foi nos freios regenerativos e na tecnologia one-pedal, que permite que o condutor utilize apenas o pedal do acelerador para dirigir o veículo. Agora ela também quer desenvolver um modelo de suspensão geradora de energia, ou seja, que utilize os movimentos verticais das rodas para gerar energia.

bmw
Fonte:(https://engenharia360.com)

Como funciona na prática a ideia da BMW

Vamos recapitular e explicar melhor a ideia da BMW! Os carros elétricos da marca poderiam regenerar as baterias no momento de baixa carga no pedal, com freio em ação automático, onde o condutor só precisaria usar o pedal do acelerador para dirigir o veículo. Mas ao passar pelos obstáculos, os amortecedores absorvem a energia para deixar a condução mais confortável e proteger a carroceria. Então, a empresa deve agora instalar também um gerador nos chassis, com um disco conectado à empreagem, que por sua vez é ligada a suspensão, fornecendo energia ao gerador, como um ciclo.

bmw
https://engenharia360.com/

Nada mais é do que aproveitar o próprio movimento de compressão e descompressão da suspensão e do atuador no sistema convencional. Enfim, essa energia é repassada às baterias de 12 V convencionais, “alimentando” os sistemas de ar-condicionado, multimídia e além; sem contar a bateria do sistema de tração, oferecendo mais autonomia ao carro.

bmw
https://engenharia360.com/

Para quais modelos de carros o sistema poderia ser utilizado

É provável que esta nova tecnologia seja utilizada pela BMW na sua Série 7 híbrida; ou ainda na versão elétrica i7. Mas, antes, a empresa precisa acertar muita coisa no seu invento. É que, por hora, ele pode custar demais – podendo passar de dez mil reais na cotação atual -, considerando que as peças de suspensão costumam sofrer muito desgaste durante a vida útil dos carros. Para saber mais acesse o site.

Para continuar por dentro das principais notícias do mundo da indústria acesse o nosso site.

categoria(s):

Marcus Figueiredo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top
× Como posso te ajudar?