TOP 3: México, Colômbia e Paraguai são os países latino-americanos que mais importam máquinas do Brasil

Exportações brasileiras de máquinas e equipamentos a países latino-americanos somaram US$747,5 milhões no 1º semestre. Os principais destinos são México, Colômbia e Paraguai, com importações de maquinários rodoviários, agrícolas, alimentícios, entre outros.

Exportações para a Colômbia

A Colômbia importou US$204,9 milhões, um crescimento de 61,8% na comparação com o primeiro semestre do ano passado. Entre os principais segmentos importados estão máquinas rodoviárias (16,1%); projetos e equipamentos pesados (15,6%) e máquinas e implementos agrícolas (11,3%).

mexico
O país foi o que teve o maior crescimento de importações do mercado brasileiro no último ano.

Exportações para o México

O México importou US$239,9 milhões no primeiro semestre, um aumento de 26,2% em relação ao mesmo período de 2021. O país importou principalmente máquinas rodoviárias (27,6%); máquinas-ferramenta e sistemas integrados de manufatura (8,6%) e máquinas e implementos agrícolas (8,4%).

Exportações para o Paraguai

O Paraguai, por sua vez, movimentou US$302,7 milhões, alta de 28,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Máquinas e implementos agrícolas (57,4%); movimentação e armazenagem de materiais (8,2%) e alimentícia, farmacêutica e refrigeração industrial (6,1%) foram os maquinários mais importados pelo país em 2022.

O BMS

Parte do mérito do crescimento das exportações deve-se ao BMS – Brazil Machinery Solutions, uma parceria entre a ApexBrasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos). Por meio do programa, empresas brasileiras participam de missões empresariais e recebem patrocínio para participar de eventos internacionais.

“Ações como as apoiadas pelo Brazil Machinery Solutions são bastante estratégicas pois demonstram a importância do comércio exterior como parte determinante da política externa brasileira. O BMS tem apostado em feiras, no desenvolvimento de estudos de mercado e em rodadas de negócios, aproveitando a demanda por participações internacionais e a mobilidade internacional facilitada. O incentivo às exportações – incluindo as pequenas e médias empresas do setor que são as principais responsáveis pela geração de emprego no país – traz resultados importantes à economia”, afirma Patrícia Gomes, diretora de Mercado Externo da Abimaq.  Para saber mais sobre o BMS acesse o site.

Para continuar por dentro das principais notícias do mundo da indústria acesse o nosso site.

categoria(s):

Marcus Figueiredo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima
× Como posso te ajudar?